Principais doenças do verão e como se proteger

O verão já tá quase aí, começa no dia 21/12, e quando ele chega algumas doenças tornam-se mais frequentes por causa das características da estação. Por ser época de férias escolares, festas e de feriados prolongados, as pessoas saem e viajam mais. Então ficam mais tempo ao sol, comem em locais de lazer,  tem alta concentração de pessoas no mesmo local e vários outros fatores que aumentam o risco e exigem cuidados para prevenir doenças e garantir que a diversão não tenha que acabar mais cedo.

mae-nao-dorme-verao

O primeiro passo é evitar que as crianças fiquem expostas ao sol nos horários em que ele tá mais forte, e sempre se lembrar de passar o filtro solar. Outro cuidado importante é ficar atenta aos sinais que a criança pode apresentar, como falta de energia e qualquer alteração na pele.

No caso dos pequenos, o risco de pegar uma doença contagiosa é maior, porque o sistema imunológico ainda não está maduro.

mae-nao-dorme-criancas-na-praia

Essas são as doenças mais comuns da estação e algumas dicas importantes para evitar a suas incidências:

Conjuntivite – Inflamação na membrana fina e transparente que reveste a parte da frente do globo ocular e o interior das pálpebras. A irritação pode ser provocada pelo sol ou pelo contato com substâncias irritantes, como a poluição ou o cloro de piscinas. Pode também ser causada por vírus ou bactérias. Para evitar a doença, é indicado sempre lavar as mãos, não coçar os olhos, usar óculos de natação e evitar abrir os olhos debaixo d’água.

Otite – O canal auditivo externo, situado entre a orelha e a membrana do tímpano, inflama-se com facilidade quando submetido a ventos e água, principalmente de piscinas, mas também de rios e mares. Pode ser causada por fungos ou bactérias e costuma provocar zumbido e dor forte. O ideal é evitar que a criança fique muito tempo à água e usar cotonetes só para higienizar o lado de fora do ouvido, já que a remoção da cera também pode causar otite.

Desidratação – É a perda de líquidos e sais minerais do corpo. Essa perda pode ser provocada por infecção intestinal ou pela exposição excessiva ao sol. Uma pessoa desidratada fica com sede, com a boca e mucosas secas, olhos ressecados e fundos, além de passar muito tempo sem fazer xixi. Para prevenir a desidratação, o ideal é usar roupas leves, tomar bastante líquido, não comer alimentos que tenham ficado muito tempo fora da geladeira e sempre permanecer em lugares arejados e frescos, longe do sol, para evitar um risco maior que é a insolação.

Diarreia e/ou vômitos – A diarreia pode ser por causa de vírus, bactérias, parasitas, efeito colateral de antibiótico ou o consumo de alimentos estragados ou contaminados. Para evitar, é indicado lavar as mãos constantemente, lavar as frutas e verduras que serão consumidas e redobrar o cuidado com os alimentos ingeridos fora de casa.

Doenças de pele – No verão, as crianças estão mais expostas à umidade, seja porque brincam na água ou só porque transpiram mais. O excesso de umidade favorece o aparecimento das doenças de pele, que são causadas geralmente por fungos ou bactérias. O ideal é trocar as roupas molhadas por secas, com preferência para aquelas de tecidos de algodão e de cores claras, pois permitem maior ventilação da pele e refletem os raios de luz e o calor.

As vitaminas são importantes para o bom funcionamento do organismo. Cada uma delas tem uma função específica que ajuda a prevenir doenças. A vitamina C, por exemplo, tá presente em frutas como laranja, limão e acerola, em folhas cruas e em vegetais. É um antioxidante que ajuda a aumentar a resistência às infecções e também é ótima na cicatrização.

As crianças precisam de mais atenção ao se alimentar para ter um bom desenvolvimento. Uma boa opção é a vitamina C em formato de gominha sabor laranja, que oferece de forma divertida a complementação alimentar de crianças de 4 à 10 anos. Uma gominha por dia já atende a necessidade diária de nutriente das crianças. A marca já tinha o pacotinho com 25 unidades e agora acaba de ampliar sua linha e apresenta uma nova embalagem com 100 gominhas, que alia praticidade e melhor relação custo/benefício. É super fácil de encontrar, em qualquer farmácia. Preço médio é de R$ 10,99 (25 unidades) e R$ 39,00 (100 unidades).

Redoxitos_25uni_ALTA Redoxitos_100uni_ALTA

E se você curtiu desse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Para falar comigo, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Beijos,

Nanda

Anúncios

Por que é de menina? Por que é de menino?

Meu sonho, desde pequena, foi ter uma menina. Sonhava em andar com uma verdadeira bonequinha. Logo que fiquei grávida, obviamente que torci para ser menina.

Os dias que antecederam o exame de sangue de sexagem foram o martírio para mim e minha família, parecia que nunca que passavam esses dias.

Como toda mãe recém descoberta, eu estava doida para comprar roupinhas para meu bebê. E começou a me incomodar muito você não encontrar mais hoje em dia coisas unissex. Como uma vendedora de uma loja me disse, é tudo muito direcionado. Por que diabos não pode existir uma roupa que um bebê menino e uma bebê menina possam usar?

mae-nao-dorme-rosa-azuk

Finalmente, o exame de sangue saiu e era menino. E pra minha surpresa eu me senti extremamente feliz. É muito louco isso, mas não fiquei nem um pingo decepcionada.

Ah, mas vestir menina é muito mais legal. Não, não é. Descobri que vestir menino pode ser muito, mas muito legal. É mais difícil, porque as lojas só tem coisa de meninas. De meninos, quando tem, é aquele basicão que eu odeio. Então eu busco, pesquiso, faço uma verdadeira garimpagem em brechós (onlines e físicos), sites, instagrans, lojas, feiras, etc. Eu busco o diferente, porque vestir menino é maravilhoso, um desafio.

Não sei como, um dia, pude pensar em ter uma menina. Ter menino é sensacional. Amo meu menino. ❤

Por esses dias, resolvi arrumar as gavetas do joão e separei tudo por tamanho e cor. A maioria das roupas que ele ganha é azul. Por que isso?

Outro dia coloquei nele um macacão de caveirinhas coloridas e todo mundo disse que era de menina. Por que?

Ele ganhou o boneco George (irmão da Peppa) da minha tia que disse que a boneca da Peppa era mais legal, que falava e tudo, mas que era de menina, né? É? Por que?

Depois descobri que muitas mães não deixam os filhos meninos verem o desenho da Peppa porque é muito rosa e porque é de menina. Oi??? Por que?

Uma amiga grávida estava procurando chupetas verdes e azuis, não podia ser nem amarela porque amarelo é de menina. Ahn??? Por que????

Um conhecido, ficou com raiva que o filho pediu um Ken pra brincar com as primas. E só liberou quando descobriu que o Ken era namorado da Barbie. Por que????

Essas coisas me irritam muito. Quem definiu que azul é de menino e rosa é de menina? E quem definiu que cores de roupa, desenhos, etc definem a sexualidade de UMA CRIANÇA? Sim, uma criança que nem entende disso.

Por que meu filho não pode brincar de casinha se na minha casa meu marido cozinha e me ajuda na faxina? Por que meu filho não pode brincar de boneca se meu marido troca fralda, dá banho, faz tudo com o João? Por que meu filho não pode usar roupa rosa se meu marido tem um monte de camisa rosa no armário? Não tem o menor sentido.

Essas coisas não fazem do meu marido menos homem. Pelo contrário, fazem dele muito homem, livre de qualquer tipo de machismo. E eu vou criar meu filho para ser assim, um verdadeiro príncipe.

Pesquisando inspirações de batizado pro João, me deparei apenas com azul e verde. Sério, até enjoei de tanto batizado azul e verde. Resolvi que não faria isso. O batizado do João vai ser colorido. Bem alegre. Do jeito que ele é, bem feliz. 🙂

E se você curtiu desse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Para falar comigo, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Beijos,

Nanda

Usa ou não usa?

Ouvi muito as pessoas e acabei me ferrando quanto ao tamanho de roupinhas e de fraldas

mae-nao-dorme-enxoval

É incrível que quando você está grávida todo mundo tem uma dica infalível, um conselho pra dar. Qual a mãe que nunca ouviu um “não compra isso que isso não se usa”?

Me falaram a gravidez inteira que fralda P quase não se usa. Não pedi fralda P no meu chá de bebê, só M e G. O João está com 4 meses e ainda usando fralda P que nós estamos comprando. Na verdade, ele até pode já usar a da Turma da Mônica M (já está usando lá na minha mãe), mas agora estamos acabando o pacote da P da Parent’s Choice que havíamos comprado.

Inclusive, não existe um padrão entre as marcas. Eu achava que a fralda P da Pampers era do mesmo tamanho que a da Turma da Mônica e todas as outras, mas não. Cada marca é de um tamanho, na embalagem mesmo eles informam de quantos à quantos quilos dá pra usar a fralda. Claro que tendo bom senso. Não vai fazer que nem a minha amiga que a filha dela é gigante, tem 1 ano e ela ainda tá usando a M, supeeeer apertada na menina, só porque no pacote informa que ainda tá na faixa de peso dela. É uma faixa de peso sugerida, nenhum bebê é igual ao outro, então se você vê que tá pequeno no seu filho, parte pra outro tamanho ou outra marca que seja maiorzinha.

mae-nao-dorme-fraldas

O mesmo vale para roupinhas. Não existe um padrão, nem aproximado, entre as lojas. Para vocês terem uma idéia, o João com 4 meses ainda usa roupas RN (que só agora foram caber nele) de umas lojas, P de outra, M de outra, 3 meses de outra, 6 meses de outra, e assim vai. Não consigo entender porque não padronizam que nem de roupa de adulto, que apesar de existirem umas roupas com formas maiores do que outras, o tamanho é mais ou menos o mesmo.

Eu só fui perceber isso depois que ele nasceu. Porque antes dele nascer, arrumei o quarto e coloquei numa gaveta roupas P e 0-3 meses, na outra M e 6-9 meses e na outra G e 9-12 meses. Aí agora tô tendo que organizar sempre olhando o que dá e o que não dá mais.

Ah, por falar em não dar mais, muita gente me falou que perde muito rápido roupa. Até agora o João quase não perdeu roupa. Pelo contrário, ele começou a caber nelas há pouco tempo.

joão-189

Mas por quê? Porque tooooodo mundo falava o tempo todo para não comprar roupas RN, que nem usa roupa RN, que é besteira.

Resultado? Quando o João nasceu, com 48,5cm e 3,370kg, nenhuma roupa cabia nele, todas gigantes. As poucas roupas que cabiam nele, ficavam folgadas e eu tinha que lavar roupa todo santo dia, senão ele não tinha o que vestir. (achava até que era um caso isolado meu, mas conversando com outras mamães, elas falaram passar pela mesma coisa).

Tivemos que comprar roupinhas às pressas no tamanho RN para que ele pudesse usar, já que bebê pequeno suja muita roupa porque golfa, faz xixi ou cocô na roupa quando vai trocar a fralda e assim vai. Essas roupinhas que compramos no tamanho RN ele usou até um pouco mais de 2 meses.

Todas as mamães amam a Carters e não é por menos. A Carters foi uma das marcas que o João usou logo que nasceu (a primeira roupa que ele usou foi da Carters, inclusive), ficava folgadinho o tamanho 0-3 months (0-3 meses), mas o João agora ainda usa esse tamanho, que fica certinho nele e já está usando também 6 months (6 meses). A qualidade é ótima e o tecido é super confortável.

João-134

Como é o primeiro filho, a gente fica perdida na hora de montar enxoval, não sabe do que precisa e acaba ouvindo muito as pessoas e não seguindo nosso instinto. Minha dica para quem tá montando o enxoval é que sim, ouça as dicas que são muito importantes, é claro, mas que a palavra final seja sua, siga seu instinto de mãe. E também porque você conhece seu dia a dia, dá pra ter uma idéia de algo que você vai usar ou não.

Cadeira de amamentação, por exemplo, todo mundo me dizia que não usa. Fui teimosa, bati o pé e coloquei na minha lista de enxoval. Minhas amigas me deram a cadeira de presente e eu uso MUITO. Amo amamentar na cadeira e o João idem, porque ele ama o balancinho.

E se você curtiu desse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Para falar comigo, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Beijos,

Nanda

O que ninguém nunca vai te contar sobre a maternidade

O cansaço, sem dúvida, é o lado obscuro da maternidade. Só que ninguém nunca te contou, nem vai contar. Porque mãe que é mãe nem liga que o filho cansa, a gente quer é mais

mae-nao-dorme-cansada

Vou começar esse post dizendo que morro de saudade dos dias que passei na maternidade, com enfermeiros e médicos me auxiliando em tudo, parecia até que eu estava em um hotel. Os últimos dias que dormi na vida. rsrs.

Ok, é um pouco (bem pouquinho mesmo) de exagero. Mas o que quero conversar com vocês hoje é o quanto é cansativa a vida de mãe.

Eu chegava do trabalho e da faculdade e achava que estava cansada, mas não, eu nunca soube o que realmente é estar cansada antes do João nascer. Nesses 4 meses, eu pude realmente ver o limite de um cansaço.

mae-nao-dorme-muito-cansada

No primeiro mês é desesperador. É O João nunca foi uma criança que chora muito, mas um bebê que acabou de nascer, tem que se ambientar ao lado de fora, tem que aprender a dormir. Me ensinaram no hospital a dar mamar de 3 em 3h, mesmo se ele tivesse dormindo. E ele foi acostumando que mamar é de 3 em 3h. Mas o problema que não era só isso. Mama, aí faz cocô, troca a fralda (depois aprendi num livro a não acender a luz de madrugada nem pra dar mamar e nem pra trocar fralda, ficar só com a luz de apoio, a usar fralda noturna e só trocar se ele fizer cocô – essas duas coisas me ajudaram muito) , acende luz, ele desperta, quando chora você ainda não entende o motivo do choro, você tá insegura, às vezes dá uma coliquinha, aí faz dormir de novo. E até você dormir realmente, já tá quase na hora dele mamar de novo. E isso é realmente desesperador!!!!! Era tão desesperador que eu chorava de cansaço, chorava de sono.

Meu casamento entrou em crise. Quase não ficávamos de bem, estávamos sempre discutindo ou estávamos brigados. Pensei que fossemos nos separar. Mas hoje vejo que estávamos muito cansados, estressados. Não soubemos administrar isso direito.

É uma fase que parece que nunca vai acabar, mesmo as pessoas falando que vai passar, eu ficava pensando: “Mas meu Deus, todo mundo fala que vai passar e não passa nunca, quando realmente vai passar?”. Não sei exatamente quando passou, mas passou.

Realmente passou mesmo. O João começou a espaçar mais o sono e a entender que à noite é mamar e dormir de novo (às vezes não dá muito certo, mas na maioria das vezes, sim). Só que quando acaba uma fase díficil, você entra em outra fase difícil e assim vai, é um ciclo vicioso. A diferença é que você vai aprendendo a lidar com o cansaço, você já entende melhor o choro do seu filho (se é de fome, desconforto, dor, manhã – na época o leandro pesquisou uns vídeos que desvendam o choro de bebê, ajudou muito a gente, mas com o dia-a-dia, a gente foi entendendo melhor do que com os vídeos que quando ele chorava a gente tentava desvendar se o choro era igual ao que a moça do vídeo dizia que era de fome), já sabe o que pode acalmar, etc. O problema que o que um dia super dá certo pra acalmar seu filho, no dia seguinte já não funciona mais e você fica na tentativa e erro.

Sempre me diziam pra eu aproveitar que o João está dormindo de dia para dormir também. Ok, mas aí quem arruma a casa, lava roupa, passa?Então isso de dormir de dia com ele comigo nunca rolou.

mae-nao-dorme-atarefada

No início tentava deixar ele na cadeirinha e fazer as coisas de casa. Percebi que ele se estressava muito mais, eu me cansava muito mais e não conseguia fazer nada. Um dia me dei conta de que ele precisa de atenção e resolvi me doar 100% ao meu filho quando estou só eu e ele. Posso dizer que minha vida melhorou muito. Quando ele tá acordado, eu sou só dele. Brinco com ele, estimulo, beijo o dia inteiro. Logo ele se cansa e dá uma soneca, aí sim corro para fazer as coisas aqui em casa. Nem sempre dá certo, porque ele acaba não dormindo por muito tempo, então minha casa vive uma zona doida que só consigo dar um jeitinho quando o Leandro chega à noite. Às vezes eu tô tão cansada de noite que não dou jeitinho nenhum por isso, mas me absolvo da culpa.

Minha mãe não gosta, vive falando que sempre deu conta de mim e da casa sem problemas. Eu não sei como e gostaria muito que fosse assim por aqui também, mas infelizmente não é. E por conta disso me cobro muito. Por conta disso me sinto péssima mãe. Não só pelo que minha mãe fala, mas porque vejo mães que tem, às vezes, mais de um filho e dá conta da casa e do filho, que a casa vive um brinco. Eu ainda não descobri como conseguir fazer isso, mas espero que consiga com o tempo.

Ainda é muito difícil. Uns dias mais tranquilos, uns mais pesados. Tem dias que minhas costas queimam de tanta dor, outras que o João dorme tanto à noite (umas 6/7h seguidas) que acordo renovada. Semana passada coloquei na minha cabeça que iria fazer ele dormir no berço (ele está bem pesadinho pra ficar ninando ele o tempo todo). Foi mais de 1 hora de muita paciência, muita força. Tiveram momentos que eu tive a sensação de que iria desmaiar de cansaço, mas não me permiti desmaiar. O Leandro dizia pra eu ir descansar que ele ficaria lá do lado, mas não fui, eu sabia que eu era capaz, eu queria provar para mim mesma que era capaz. Capaz de ser mais forte do que eu penso ser.

Sabe, eu me cobro muito como mãe. Não me considero uma boa mãe, longe disso. Eu acho que “sobrevivo” como mãe.  O dia que minha mãe comentou numa foto minha dizendo que tem orgulho de mim (como mãe) eu desandei a chorar. Ter a aprovação dela é muito importante pra mim. Sua mãe te aprovando como mãe é a melhor coisa que você pode esperar.

mae-nao-dorme-super-mae

Eu confesso: Teve um dia que eu estava tão desesperada de cansaço que me peguei falando que se eu soubesse que ter filho é tão cansativo, jamais teria. Me desculpa, porque é tudo mentira. Sabe por que ninguém nunca vai te dizer para não ter filho, que filho cansa? Porque tudo compensa. Compensa quando sinto o cheiro do João, quando o vejo dormindo, quando o vejo sorrindo, quando o vejo conversando e até quando, como agora, que ele tá brincando sozinho com o pé, porque essas pequenas descobertas são os melhores momentos que você pode vivenciar.

Veja bem, eu não estou reclamando da minha vida, estou desabafando. Porque às vezes é preciso isso. É preciso você falar, falar com alguém que entenda seu momento, suas dificuldades e até as suas loucuras.

E, felizmente, estou podendo contar com 2 anjos na minha vida chamados Maria Letícia e Mariana. Nossos bebês nos uniram, nasceram no mesmo mês, fizemos um grupo no whatsapp e nos falamos o dia inteiro. Lá a gente desabafa quase que o dia inteiro, mas damos dicas umas para as outras, conselhos e rimos muito de nós mesmas.

Aconselho a quem puder, procurar pessoas que estejam passando pela mesma fase que você. Você vai ver que não é a única. Que até aquilo que você tem vergonha de admitir, é normal. E assim é mais fácil levar a vida.

Estou sendo também injusta se não disser que Deus me mandou o maior de todos os anjos, meu parceiro, meu Leandro. É o melhor pai que eu poderia sonhar para meu filho. Me ajuda, me dá forças. Se não fosse ele, com certeza eu não conseguiria. Temos até revezado de madrugada. Eu dou mamar e ele nina o João.

mae-nao-dorme-pai

 

Preciso também bater palmas de pé para mães solteiras porque é barra pesadíssima.

Enfim, obrigada meu Deus pela oportunidade de sentir todo esse cansaço. Me sinto sortuda, me sinto completa agora.

E se você curtiu desse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Para falar comigo, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com

Beijos,

Nanda