5 MOTIVOS PARA VIAJAR COM OS FILHOS

Conheça as razões pelas quais valem a pena arrumar as malas e embarcar na companhia das crianças. Fernanda Braz, a autora da coleção “Vovô Conhece o Mundo”, explica como o hábito de viajar pode estreitar os laços familiares

WhatsApp Image 2017-08-16 at 12.53.53

Quem me acompanha nas redes sociais sabe que viajei esse final de semana e cheguei na segunda-feira de Búzios. Foi tudo delicioso. Apesar de não conseguir tanto como gostaríamos, nós amamos viajar.

A escritora paulista, Fernanda Braz, que escreveu a coletânea infanto-juvenil “Vovô Conhece o Mundo” e estimula a criança a desvendar enigmas pelo

IMG_5782

Fernanda Braz, autora da coleção infantil “Vovô conhece o mundo”.

mundo, não acredita que viajar seja custo e, sim, um investimento para a educação e desenvolvimento intelectual da criança.

“De uma forma natural e divertida é a melhor forma deles aprenderem, criarem a resiliência, estimulando o exercício da flexibilidade e adaptabilidade”, diz. Ela, que se inspirou nas viagens que fez com a família para escrever, equilibra, entre uma ponte área e outra, a vida de mãe e a carreira de executiva de negócios.
A seguir, ela conta os motivos que a inspiram a não abrir mão de viajar com filhos sempre que pode.

  1. Viajar estreita os laços familiares

A vida moderna mudou a dinâmica familiar e muitas mães trabalham fora, mas antes da culpa pela falta de tempo, pense que quantidade não é qualidade. Aproveite a viagem de férias para ficar junto com a família e curtir os filhotes. Esqueça por um tempo o trabalho, as redes sociais e viva intensamente essa experiência.

 

  1. Viajar cria memórias inesquecíveis

Viajar nos distancia do stress do dia a dia e acaba proporcionando momentos inesquecíveis. Quando a família entra em sintonia, a rotina é leve e as interações muito mais divertidas, registrando na memória: “como é gostoso viajar com a minha família”.

 

  1. Viajar contribui com o processo de aprendizagem

Uma boa viagem precisa do equilíbrio entre explorar, descansar e brincar. Quando fizer um roteiro, reserve um tempo para as crianças brincarem. Durante a viagem, chame a atenção dos seus filhos para coisas que possam contribuir com o processo de aprendizagem. Se visitar um museu proponha um caça ao tesouro às principais obras, mas se o destino for praia, convide os pequenos a observar a natureza.

 

  1. Viajar estimula o exercício da flexibilidade e adaptabilidade

O mundo está em constante mudança e a capacidade de se adaptar é condição chave para o sucesso. Em vez de quase enlouquecer para criar um ambiente igualzinho ao de casa, procure mostrar as características do lugar, estimulando a flexibilidade. Isso significa provar uma comida diferente, ir ao supermercado, andar de transporte público observando a rotina das pessoas. As crianças têm a capacidade de se adaptar e podem te surpreender.

 

  1. Viajar ensina a respeitar e entender a diversidade

O novo muitas vezes gera desconforto. Quando viajar procure valorizar o diferente e ensinar às crianças o respeito ao próximo. Procure entender as características da cultura local e mostrar que a riqueza está na diversidade. Tenha certeza que cada experiência ajudará seu filho a ter uma visão de que o mundo é muito maior do que a família, a escola e os amigos. Quando pensar no custo de uma viagem, lembre-se que viagem de férias é um investimento que vai além de simplesmente conhecer um lugar especial. Sempre que possível ultrapasse as barreiras geográficas e o mais importante: em vez de tirar fotos para postar, registre na alma cada momento em família… é isso que faz a vida valer a pena.

E o que acharam das dicas? Vamos viajar mais?

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Anúncios

Pediatra ensina a preparar o quarto e criar hábitos para que a hora do sono seja um momento tranquilo, de relaxamento, para pais e filhos.

como fazer o bebê dormir a noite toda

É fato que bebês com menos de seis meses raramente dormem a noite inteira. Além das interrupções em razão das mamadas, eles ainda não têm maturidade neurológica e não produzem a melatonina, hormônio que regula o sono. “Por isso, é função dos pais estabelecerem rotinas e hábitos que induzam a criança a dormir, sem trocar o dia pela noite”, aconselha a pediatra consultora da Netfarma, Fernanda Catherino. E como fazer isso? Seguem abaixo algumas dicas da especialista para deixar a hora do sono para pais e filhos mais tranquila.

Calmaria antes da soneca
É importante escurecer o quarto do bebê antes de colocá-lo no berço – uma forma de acostumar o seu relógio biológico a se adaptar ao dia e à noite. Outra dica é tornar o ambiente mais silencioso e calmo para que a criança consiga relaxar. Por isso, antes da soneca, evite brincadeiras que possam despertá-la.

Uma coisa que também funciona é nas mamadas da madrugada, não acender a luz, nem para trocar a fralda (ficar somente com a luz de apoio). Para o bebê aprender o que é dia e o que é noite.

Rotinas à risca
Os pais devem estabelecer rotinas de sono para as crianças. Em outras palavras, deve-se acostumar os pequenos a se deitarem nos mesmos horários. Trata-se de uma outra maneira de regular a hora do descanso. Um banho quentinho, uma fralda sequinha, uma troca de roupa por um pijama e um ‘mamazinho’ são excelentes formas para estabelecer uma rotina.

Controle-se ao ouvir choros e resmungos
Não deixe se levar por qualquer som emitido pelo neném, principalmente quando estiver ao lado da babá eletrônica. É claro: fique atento a choros intermitentes, mas procure se controlar antes de sair correndo para vê-lo no berço. Verá que, na maioria dos casos, se não for a hora da mamada ou da troca de fralda, é apenas um barulhinho que todo bebê faz e ele voltará a dormir.

No próprio berço
Acostume os pequenos a dormirem em seu próprio berço desde os primeiros dias de vida. Na hora da soneca, evite embalá-los sempre nos braços, assim irá evitar que isso vire um costume que depois será difícil de desabituar.

Vozes da mamãe e do papai
Leia ou cante em voz suave e baixa para o pequeno, mesmo que ele tenha meses de vida. A voz dos pais costumam ser reconfortantes. Coloque o bebê no berço, sente-se um pouco distante para que ele não te veja. A técnica da leitura induz ao sono e pode ser usada por muitos anos, sem contar que é uma ótima maneira de despertar curiosidade e cultivar o hábito da leitura.

Bom senso
Os bebês costumam sentir mais frio porque o organismo deles ainda não têm maturidade para regular a temperatura do corpo, mas cuidado ao enchê-los de edredons e cobertores. Use o bom senso na hora de dormir para manter o ambiente confortável. No verão, ele também sofrerá com o calor, por isso, lembre-se de manter o ambiente arejado.

Outra dica é sempre se atentar para a saúde do seu bebê: cólicas, resfriados e assaduras podem atrapalhar o sono do pequeno. O melhor é sempre prevenir qualquer problema, para que o baby se sinta confortável e toda a família durmam bem.

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Agosto Dourado – 10 atitudes do pai que ajudam no sucesso da amamentação

No mês dos pais e do aleitamento materno, pediatra afirma: está na hora dos pais também assumirem a responsabilidade pela amamentação

Happy parents spending time with baby on the couch at home in the living room

Amamentar é o ato mais natural do mundo, mas, porém fácil. Converse com mães e você vai perceber que a maioria delas sentiu algum tipo de dificuldade ao começar o aleitamento e que alguns casos podem ser um pouco traumáticos. Um ponto em comum em muitas histórias bem sucedidas é quase sempre o mesmo: o apoio de familiares e, em especial, do pai.

Para a nutróloga pediátrica Aline Magnino, do Grupo Prontobaby, que há mais de 10 anos apoia famílias a vencer os desafios iniciais da amamentação, a coincidência de comemorarmos o Dia dos Pais durante o Agosto Dourado – período de conscientização proposto pela World Alliance for Breastfeeding Action em 120 países – é uma ótima oportunidade para incentivar os homens a estarem mais presentes nesse processo. Segundo ela, a parceria faz toda a diferença no sucesso da empreitada.

A amamentação pode ser um momento precioso na vida de um casal, que estreita laços não apenas entre mãe e filho, mas entre estes e o pai. Muitos homens, contudo, se sentem excluídos do processo de aleitamento. O que eles não sabem é que o seu apoio, frequentemente, faz muita diferença entre o sucesso ou o fracasso no início da amamentação, assim como seu abandono precoce. E esse suporte é ainda mais determinante quando se trata do primeiro filho.

Uma pesquisa publicada pela Associação Americana de Pediatria, reuniu 214 casais, prestes a ter seu primeiro bebê e os dividiram em dois grupos: no primeiro, os pais só receberam informações sobre amamentação quando estavam na maternidade e, no segundo, os homens puderam estudar a respeito de seis a doze semanas antes do parto. Após três meses, 95% das mães do primeiro grupo ainda davam de mamar, enquanto, no outro, a taxa era de 88%. No primeiro grupo, as mães relataram estar mais satisfeitas com o apoio do pai e os homens mostraram um maior nível de confiança. O estudo concluiu que, quando as mulheres se sentem amparadas pelos companheiros, têm mais chances de manter a amamentação, mesmo se sentindo exaustas ou inseguras.

À todos os papais a pediatra e nutróloga do Grupo Prontobaby recomenda os dez passos para a participação efetiva e afetiva do pai no apoio ao aleitamento materno, elaborados pelo Grupo Interinstitucional de Incentivo ao Aleitamento Materno:

  1. Encoraje e incentive sua mulher a amamentar

Por vezes ela pode estar insegura de sua capacidade para a amamentação. Seu apoio será fundamental nestas horas.

[Momento nostalgia] Eu lembro perfeitamente quando eu estava na maternidade (após o parto), tomando banho e chorando porque achava que meu leite não desceria. Meu marido me acalmou, disse que se eu ficasse nervosa, isso atrapalharia na produção de leite e me lembrou que a gente sabia que era por volta do terceiro dia que o leite descia. Exatamente no terceiro dia de vida do João, meu leite desceu. ❤

  1. Divida e compartilhe as mamas de sua mulher com o bebê:

Mesmo que seja difícil aceitar, lembre-se que a amamentação é um período passageiro. Dê prioridade a seu filho.

  1. Sempre que possível, participe do momento da amamentação:

Sua presença, carícias e toques durante o ato de amamentar são fatores importantes para a manutenção do vínculo afetivo do trinômio mãe-filho-pai.

  1. Seja paciente e compreensivo:

No período de amamentação, é pouco provável que sua mulher possa manter a casa, as refeições e, ainda, cuidar-se de formas impecáveis. As necessidades do recém-nascido são prioridades nesta fase.

  1. Sinta-se útil durante o período da amamentação:

Coopere nas tarefas do bebê: trocar fraldas, ajudar no banho, vestir, embalar, etc. Lembre-se que cuidar do bebê é tarefa da mamãe e do papai. Papai não é ajudante da mamãe. Pai é pai.

Quando ela estiver dando de mamar, ofereça-lhe um copo de suco ou água, ela vai adorar! Amamentar dá muita sede, sabia?

  1. Mantenha-se sereno

Embora a amamentação traga muitas alegrias, também pode trazer dificuldades e cansaço. Às vezes sua mulher pode ficar impaciente. Mostre carinho e compreensão nestes momentos. Evite brigas desnecessárias para não prejudicar psicologicamente a descida do leite.

  1. Procure ocupar-se mais dos outros filhos, se os tiver.

Para que não se sintam rejeitados com a chegada do novo irmão. Isto permitirá a sua mulher dedicar-se mais ao recém-nascido.

  1. Mantenha o hábito de acariciar os seios de sua mulher

Estudos demonstram que quanto mais uma mulher é sensível às carícias do companheiro, mais reagirá à estimulação rítmica de seu bebê.

  1. Fique atento às variações do apetite sexual de sua mulher

Algumas reagem para mais, outras para menos, são alterações normais. Esta é uma ocasião para o casal vivenciar novas experiências e hábitos sexuais, adaptando-se ao momento.

  1. Não leve para casa latas de leite, mamadeiras e chupetas

O sucesso deste período depende, em grande parte, de sua atitude. A amamentação exclusiva até os 6 meses e seu carinho e apoio é tudo que seu bebê necessita para crescer inteligente e saudável.

No mais, desejo muito sucesso nessa fase difícil, porém muito deliciosa. CURTA, CURTA, CURTA, porque o tempo VOA e isso vai deixar uma saudade absurda em seu coração.

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Como fazer massinha caseira

Em nosso primeiro vídeo no canal, João faz um tutorial de massinha caseira

Finalmente nosso primeiro vídeo do canal saiu! Estou tão feliz! Quem me segue aqui, quem nos acompanha, queria dividir essa felicidade com vocês.

Inclusive, peço que entrem aqui e se inscrevam lá! Eeee! ❤

Bom, nesse primeiro vídeo, o João muito do internacional e desenvolto, ensina uma receita muito simples de massinha caseira. Sério, é tão simples que basicamente tudo foi feito por ele.

O João é muito engraçado (ok, sei que sou suspeita para falar) e um vídeo que eu queria que ficasse só fofinho, ficou fofinho e engraçado.

Clica aqui pra assistir ou assista aqui embaixo. Mas não deixe de deixar um jóinha e, só pra lembrar, se inscreve no canal.

Ingredientes:

– 4 xícaras de farinha de trigo
– 1 1/2 xícara de água
– 3 colheres de óleo
– 1 xícara de sal
– corante alimentício na cor desejada

E é isso, galera! Vamos ter vídeos toda semana. Então não deixa de acompanhar a gente, de dizer o que achou e podem mandar sugestões de vídeos.

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Playground da Peppa Pig chega a Ilha do Governador

Atração começa no dia 8 e chega pela primeira vez à região

Peppa Pig_divulgação
 
Os fãs da porquinha mais querida do mundo terão uma grande surpresa a partir de hoje, dia 8 de agosto, no Ilha Plaza, quando será inaugurado o playground indoor da Peppa Pig. O evento trará uma experiência exclusiva para as crianças se divertirem com brincadeiras lúdicas. O Peppa Pig Playground ficará em cartaz até o dia 10 de setembro.
 
Localizado em toda a Praça de Eventos (no primeiro piso), o espaço terá decoração e temática desenvolvida para estimular a coordenação motora e a interação com outras crianças e objetos. Serão duas áreas separadas, onde os pequenos viverão momentos únicos no mundo da Peppa.
 
Na primeira parte do evento, haverá um gigantesco balão com a personagem Miss Rabit, que antecede muita animação. Com capacidade para 30 crianças, será cobrado ingresso de R$ 15 para a brincadeira no grande playground. No espaço, um labirinto com tubos coloridos, túneis, escorregadores de vários tamanhos e um tobogã serão o foco da diversão dos pequenos, que ainda terão uma piscina com diversas bolinhas para muitas aventuras durante a visita.
 
A segunda área terá visitação gratuita e a criançada poderá curtir e tirar muitas fotos de lembrança na cenografia construída com toques do premiado desenho animado, com um trem com bonecos da família da Peppa em fibra e balanços em formato de patos para os pequenos. Uma área para desenhos e uma cama elástica completam a diversão.
 
Uma promoção em estilo Compre e Ganhe irá agitar a programação do shopping durante os dias do evento. De 8 de agosto a 10 de setembro, os clientes que realizarem compras no valor de R$ 150, ganharão um cofrinho da porquinha mais charmosa do planeta. O regulamento completo estará disponível no totem próximo ao balcão de troca, no segundo piso.  
 
Horário de funcionamento: diariamente, das 13h às 21h. 
Evento com parte paga e parte gratuita
Valor do ingresso para área paga: R$ 15 (por 15 minutos)
Faixa etária: a partir de 3 anos

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

Manhã deliciosa para comemorar o dia dos pais no Rio de Janeiro

Pais e filhos poderão celebrar a data em uma manhã de ecoturismo. Inscrições abrem no dia 07 de agosto

Trilha Babilônia RIOSUL

O dia dos pais já está chegando e você já sabe o que fazer para comemorar em família?

Por aqui nós gostamos de sair um pouco do comum. Fugimos de filas enormes em restaurante. Gostamos de programações em que possamos nos curtir mais, sem estresse.

Trilha Babilônia RIOSUL 2

O RIOSUL Shopping Center, por exemplo, irá promover no sábado, dia 12, uma nova edição do projeto Trilha Babilônia RIOSUL – Especial de Dia dos Pais.

Os participantes terão a oportunidade de contemplar o Rio de Janeiro de um novo ângulo e conhecer, de graça, o trabalho de reflorestamento que é desenvolvido nos morros do Leme, Babilônia-São João, além de outras atividades de ecoturismo da região e projetos sociais das comunidades próximas.

Trilha Babilônia RIOSUL 4

Inscrição

As inscrições abrem hoje, 7/8. Serão 60 vagas para adultos e crianças a partir de 6 anos. Para participar basta entrar no site do RIOSUL e preencher a ficha http://www.riosul.com.br/shopping_trilhas.php.

O Shopping também oferece um serviço que inclui lanche e translado de ida até o início da trilha e volta ao ponto de encontro. Os participantes devem se reunir no piso G5 do Shopping. A saída acontece sempre às 9h. O ecoturismo está sujeito às condições climáticas do dia e à lotação.

 

Horário de encontro: 8h30

Trilha Babilônia RIOSUL 3

Então fica a dica para começar esse final de semana de comemorações. 😉

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.

 

Aproveitando as férias de Julho com segurança e tranquilidade

Vai viajar ou ficar em casa durante as férias escolares? Saiba que cuidados tomar para evitar acidentes na época em que eles mais acontecem

Especialista alerta: número de casos de acidentes domésticos e no trânsito aumenta significativamente no período de julho, mas pais podem proteger as crianças com dicas específicas para cada caso

ferias de julho

As férias de julho chegaram e se, por um lado, o período é de grande expectativa por parte das crianças, que ganham mais tempo para se divertir em casa, por outro, para os pais, é hora de se preocupar com detalhes que podem garantir o bem-estar e saúde dos pequenos. Segundo a pediatra e diretora médica do Hospital Prontobaby, Dra. Gina Sgorlon, esta é uma época em que é registrado um aumento significativo de internações de crianças por conta, principalmente, de acidentes no trânsito, afogamento, quedas, intoxicação e queimaduras.

Crianças pequenas costumam ser as mais atingidas durante as férias, pois passam a ficar mais tempo sem supervisão dentro de casa. A médica explica que, como os responsáveis acreditam que no ambiente doméstico elas estejam protegidas, acabam por não identificar riscos em potencial e tomando providencias para reduzi-los.

Outro equívoco muito comum em viagens para cidades menores é dispensar o uso do cinto de segurança, ou permitir que os filhos andem no banco da frente, pois os pais acreditam estarem em ambientes de menor risco. Acidentes de trânsito são as principais causas de morte de crianças e adolescentes com idades de um a 14 anos no Brasil.

Veja as dicas da diretora médica do Prontobaby – Hospital da Criança para adaptar melhor os espaços mais críticos da casa, aumentar a segurança das crianças em ambientes externos, além de como viajar de carro com mais segurança.

DENTRO DE CASA

 ferias-em-casa

Salas e quartos

– Piso molhado, muito liso e tapetes soltos representam risco de quedas. Opte por pisos e tapetes antiderrapantes, ou retire itens escorregadios do ambiente.

– Faça uma vistoria detalhada no piso de toda a casa: pedaços de tacos soltos ou pisos rachados podem oferecer riscos.

– Instale portões de segurança, grades, travas e/ou redes de proteção em janelas, sacadas, mezaninos e no topo e na base de escadas. Toda área que apresente risco de queda, por menor que seja, deve ser isolada.

– Atenção a fios elétricos desencapados e tomadas elétricas. Para evitar choques, use tampas, fita isolante ou mesmo móveis como barreira, para não permitir o acesso.

– Objetos pequenos como brinquedos, botões e moedas podem causar sufocações. Todos os objetos que contém partes pequenas devem ser guardados em caixas ou locais fechados.

– Cortinas e persianas que possuam cordas oferecem risco real de estrangulamento. Mantenha os fios em uma altura que não seja acessível à criança fazendo um nó ou prendendo com um pregador.

– Cuidado com as quinas. Se possível, opte sempre por móveis com quinas arredondadas ou use um protetor específico, vendido em lojas de utilidades.

– Móveis (inclusive cama e sofá) devem ser sempre mantidos longe de janelas e cortinas, nunca embaixo. Eles podem ser usados para escalar.

– Verifique se existem plantas ao alcance da criança e se essas não são venenosas, ou apresentam perigo para os pequenos, como espinhos ou partes pontiagudas.

Cozinha e Área de Serviço

– O fogão é o maior causador de acidentes na cozinha. Por isso, opte apenas pelas bocas de trás e mantenha todos os cabos de panelas virados para dentro.

– Guarde fósforos, isqueiros, sacos plásticos, substâncias como álcool, materiais de limpeza, objetos que quebram, talheres e facas em locais altos, ou trancados, o mais distante do alcance das crianças.

– Nunca deixe pontas de facas ou de garfos expostas. Coloque os cabos dos talheres devem ficar para cima no escorredor de louça.

– Eletrodomésticos que não estão em uso devem permanecer fora da tomada, além de dificultar o acesso das crianças a fios, que devem ser o mais curto possível.

– Evite colocar toalhas compridas sobre qualquer superfície. As crianças podem puxá-las e, se houver algo em cima pode cair sobre os pequenos.

– O recipiente de lixo precisa ser fechado com tampa e, se possível, não ficar em altura que a criança alcance.

– Na lavanderia, baldes e bacias devem ser mantidos vazios e guardados virados para baixo.

– Produtos de limpeza devem ser mantidos em seus recipientes originais. As embalagens de refrigerantes ou similares nunca devem ser reutilizadas para guardar produtos de limpeza, para não confundir as crianças.

Banheiros

– Procure manter a tampa da privada lacrada com dispositivo de segurança específico. Se não for possível, tenha o hábito de deixar a porta trancada.

– Jamais deixe uma criança na banheira sem supervisão, nem por alguns segundos, ou mesmo com pouca quantidade de água. E sempre esvazie o recipiente depois de usá-lo.

– Guarde utensílios e aparelhos como tesouras, lâminas, pranchas e secadores de cabelo em espaços fora do alcance das crianças.

– Tranque o compartimento de remédios, produtos de higiene pessoal, antissépticos bucais e outros produtos que apresentem perigo de intoxicação.

– Evite deixar banquinhos ou plataformas dando acesso à pia.

– Use materiais antiderrapantes no piso para evitar quedas.

FORA DE CASA 

Áreas externas com ou sem piscina

ferias na piscina

– Ensine seu filho a nunca entrar na piscina sem ter um adulto tomando conta. Até mesmo nas piscinas de plástico para crianças menores, com poucos centímetros de água, o risco de afogamento é grande.

– Sempre que acabar o uso, esvazie a piscina ou cubra-a com tela protetora – no caso das maiores.

– Se estiver supervisionando crianças na piscina, não se afaste nem por poucos minutos.

– Jamais acenda a churrasqueira com crianças por perto. O fogo pode subir e acabar ferindo seu filho. Facas e espetos devem ser deixados fora do alcance da criança. Assim como o álcool.

– Ensine as crianças a jamais levarem à boca frutos e folhas de plantas. Muitos deles não são comestíveis e podem causar intoxicação e envenenamento.

– Ensine seu filho a sempre olhar para os dois lados quando for buscar uma bola ou outro brinquedo que tenha ido para o meio da rua. Eles devem esperar os carros passarem, mesmo que isso custe perder o brinquedo.

Em parquinhos e playgrounds

seguranca no parquinho

– Em locais não conhecidos pela família, é fundamental que as crianças brinquem sob supervisão.

– Tome cuidado especial com os brinquedos que oferecem riscos de quedas, como escorrega e trepa-trepa, ou enforcamento, como balanços.

– Tire capuz e cachecóis para evitar estrangulamento.

– Bicicletas, patins e skates devem ser usados juntamente com equipamentos de segurança: capacete, joelheiras e cotoveleiras.

No trânsito

 

– De acordo com a legislação brasileira, até os 10 anos as crianças devem ser transportadas no banco traseiro e usando cinto de segurança. Até os sete anos, elas deve usar cadeirinhas específicas para peso e idade.

– O airbag do passageiro pode ferir seriamente uma criança quando essa estiver sentada no banco da frente. Se for transportar uma criança em carro com esse dispositivo, lembre-se de desativá-lo.

– Em paradas para abastecer, comer, ou por outro motivo, jamais deixe a criança desacompanhada. Locais localizados à beira da estrada oferecem alto risco de atropelamento para crianças.

Agora é só curtir as férias com as crianças sem preocupação alguma. 🙂

Beijos,

Fê!

E se você curtiu esse post, clica aqui em “Gosto” e em “Compartilhar”. Não esqueça também de curtir a gente no Facebook: http://facebook.com/maenaodorme e nem no Instagram: @blogmaenaodorme.