Visitamos o Colégio CEL do Jardim Botânico e do Norte Shopping

Fizemos uma visita ao CEL Lopes Quintas e do Norte Shopping e nos encantamos

Eu já conhecia o CEL desde criança porque tinha amigos que estudavam lá, hoje os filhos desses amigos estudam lá. Mas nunca tinha entrado no colégio e conhecido REALMENTE.

cel lopes quintas 5

Fomos convidados (eu e meu marido) pelo colégio para conhecer as unidades CEL Lopes Quintas (Jardim Botânico) e CEL Norte Shopping, que eu super achava que era minúscula e fiquei chocada que é enorme, ela pega toda a cobertura do Shopping. Mas tem ainda as unidades Maria Angélica e Barra da Tijuca.

Eu não paro de falar que estou encantada, porque essa é a única palavra que pode descrever essa experiência. Filmei tudo e coloquei nos destaques dos stories do meu instagram (se você ainda não me segue, dá um bizu lá no @blogmaenaodorme).

O Colégio CEL trabalha com os três pilares que são: Alta qualidade de ensino, Formação Global e Educação do Caráter.

Mas o que mais me chamou a atenção foi a educação do caráter. Porque não é só no papel, é REAL. Você vê isso o tempo todo no colégio. A escola forma valores universais que estão na rotina da escola, nas paredes, nas escadas, nos trabalhos didáticos. É realmente incrível essa metodologia.

Nós vimos uma atividade da semana nacional de trânsito em que metade da turminha eram os carros e a outra metade os pedestres. Então eles aprendiam que só podiam andar no sinal verde, atravessar na faixa, não podia jogar lixo pela janela, etc. E aí um aluninho disse que o pai jogava lixo pela janela. Eu achei fenomenal, porque agora que ele já sabe que é errado, vai chamar a atenção do pai quando fizer de novo (porque o João faz isso comigo, chama atenção quando eu faço algo que ele já sabe que é errado, inclusive quando eu avanço o sinal).

cel norteshopping

Vimos também uma apresentação de Ginástica Rítmica e ficamos sabendo da história de um aluno (que não estava no dia porque estava doente) que quis fazer a GR e a mãe ligou para a coordenadora da unidade. A coordenadora disse que por ela não tinha problema, mas que GR é uma modalidade feminina. O aluno fez uma pesquisa na internet e descobriu que em alguns lugares, homens já fazem Ginástica Rítmica. Então o colégio aceitou e mandou fazer um uniforme especialmente para ele. Afff, achei o máximo!

cel lopes quintas 7

A Lopes Quintas vai da Creche (à partir de 4 meses) ao 5º ano e a do Norte Shopping vai da Creche ao Ensino Médio.

Na creche tem auxiliar e auxiliar de enfermagem (que inclusive faz shantala nos bebês), visita de pediatra uma vez ao mês, atividades psicomotoras, de música, contação de histórias.

cel lopes quintas 8

Berçário I Lopes Quintas

Minha maior preocupação em deixar o João na creche era porque ele era muito bebêzinho e tinha medo de terceirizar a criação do meu filho com alguém que não tivesse o mesmo carinho e atenção que eu teria. E fiquei muito emocionada em ver um bebê dando os primeiros passinhos e as auxiliares comemorando e mostrando para a coordenadora. Fiquei muito feliz e com vontade de ligar para a mãe dele para dizer que o filho dela tava sendo bem cuidado, que estava em boas mãos.

cel norte shopping

Bercário I Norte Shopping

Falando da educação, as crianças têm aula de informática, inglês, música, artes, fora as matérias básicas.

Os alunos do integral têm inglês (além do que é dado em horário de aula), natação, Judô, Ginástica Rítmica.

Sobre mensalidade, é sempre melhor agendar uma visita, porque tudo vai depender da sua necessidade, do horário. E eles tem convênio com algumas empresas e condomínios, oferecendo até 25% de desconto.

A estrutura é incrível, tudo sempre muito limpo e conservado.

De todo meu coração, vale a visita. Você não vai se arrepender, porque eu tenho certeza que vai se encantar como eu.

Informações:

Site: https://cel.com.br/

Cel Lopes Quintas: Rua Lopes Quintas, 537 – Tel.: (21) 3205-9200

Cel Maria Angélica: Rua Maria Angélica, 294 / 310 – Tel.: (21) 2536-3500

Cel Norte Shopping: Av. Dom Hélder Câmara, 5332 / Loja 3412 – Piso G e Cobertura – Tel.: (21) 2599-5800

Cel Barra da Tijuca: Rua Jornalista Henrique Cordeiro, 200 – Tel.: (21) 3433-6900

 

Obs: Esse post contém publicidade paga

Anúncios

Grávida faz exercícios? Entenda os benefícios deles para a gestação

Atividades físicas trazem vantagens tanto para a mãe quanto para o bebê

exercicios na gravidez

Não é de hoje que a gravidez deixou de ser sinônimo de repouso. E agora, estar com um barrigão não é mais motivo para pausar a rotina de exercícios e muito menos, para deixar de lado a vontade de iniciar novas atividades, mesmo que seja em uma intensidade moderada.

A orientação para a realização de atividades físicas durante a gestação é indicada pelo American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG) desde a década de 1990. Mas, só em 2002 essa prática foi indicada para gestantes e confirmada no guideline da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte.

Realizar atividades físicas traz inúmeros benefícios para a saúde do corpo e da mente e, no caso das gestantes, as vantagens vão desde a redução de riscos durante a gravidez, até na inibição de casos de diabete, dores nas costas, diminuição de tensão durante o dia e melhora da respiração.

“A prática da atividade física é segura e necessária, desde que seja com regularidade e moderação. Mesmo assim os exercícios são indicados tanto para o início da gestação, quando o corpo da mulher ainda está se adaptando para acolher o bebê, durante a gravidez, e, também, no momento do pós-parto, afinal, durante todo esse período os hormônios e o próprio corpo da mãe estão em transformação”, explica a fisioterapeuta e especialista em osteopatia, Débora Ucha.

A realização de atividades físicas deve ter uma regularidade de 3 a 5 vezes na semana e entre os exercícios indicados estão os aeróbicos (como caminhadas e atividades aquáticas), de força e resistência (musculação e o pilates) e o alongamento e relaxamento, através da dança ou ioga, por exemplo.

“Mesmo que a atividade física seja essencial, é necessário que a gestante tenha um acompanhamento de um especialista, no caso das grávidas saudáveis os exercícios são altamente recomendados, mas para as que não mantém um corpo tão ativo, é necessário iniciar de forma lenta e com mais atenção, principalmente no primeiro trimestre”, recomenda Débora.

Além disso, a especialista também afirma que a própria gestante deve avaliar questões sobre vestimenta, conforto no exercício, temperatura do clima e do corpo além de não esquecer, em nenhum momento, de se hidratar durante as atividades.

PARA O BEBÊ

Os benefícios de realizar atividades físicas se estendem também para a saúde do bebê, que por sua vez, podem ter uma qualidade de vida melhor, através de ações da mãe. “Os atos de uma gestante refletem em estímulos para o bebê, seja através de sentimentos, de alimentos e também de ações, como é o caso do exercício físico, por isso que, neste caso, o exercício pode chegar a fazer bem até para o bebê”, detalha a especialista.

Entre as vantagens para ele estão o aumento da circulação sanguínea, desenvolvimento do feto, melhora no sistema cardiovascular, além de ajudar no momento da passagem dele, na hora do parto.

E DEPOIS?

Mesmo depois de ter concebido o seu bebê, é natural que a mulher se sinta mais cansada, estressada e até desconfortável com atividades do dia-a-dia, como caminhar e dormir. Por isso, os exercícios físicos devem acompanhar a mãe neste momento, pois ele vai atuar diretamente na recomposição do corpo e da energia, além de melhorar a postura, minimizar dores e melhorar a autoestima.

“O exercício físico deve acompanhar a pessoa por toda a vida na verdade, mas para a gestante esse é um momento importante, então a minha dica para elas é que se cuidem, que entendam os limites e as necessidades do corpo delas. E para quem está nesse momento de pós-parto, que busque novamente o exercício, seja o pilates, a hidroginástica, uma caminhada ou também, dança ou ioga, afinal, é necessário sempre se manter em equilíbrio”, finaliza Débora.

Os cuidados com a saúde bucal durante a gravidez

Alguns hormônios ao longo da gestação podem aumentar a incidência de problemas na boca

saude-bucal-durante-a-gravidez

Os nove meses de gestação exigem muitos cuidados da mamãe para garantir a sua saúde e a do bebê. Além das consultas frequentes ao obstetra e da realização de exames de ultrassom, a agenda deve incluir visitas ao consultório odontológico. É que alguns hormônios durante a gestação podem aumentar a incidência de problemas na boca, como a gengivite que, se não for tratada corretamente, pode levar à perda dos dentes.

De acordo com a dentista Daphene Ozelame, especialista em odontopediatria e ortodontia, alguns artigos científicos mostram que já foram encontradas bactérias odontopatogênicas dentro do líquido aminiótico de gestantes que tiveram parto prematuro. “No entanto, não podemos afirmar categoricamente que a doença
periodontal seja a causa do nascimento antes dos nove meses nem do baixo peso do bebê. O que sabemos é que o parto prematuro pode ser provocado por diversos fatores, como a pré-eclâmpsia. Esse problema costuma surgir a partir da 20ª semana de gestação e tem como principal característica a elevação súbita da pressão arterial”, explica.

Os cuidados durante a gravidez são os mesmos que os dentistas recomendam para qualquer pessoa: boa escovação, uso do fio dental, alimentação equilibrada e saudável. O aumento das cáries e das doenças gengivais é comum entre as gestantes, principalmente entre aquelas que têm dificuldade de higienizar os dentes. Muitas vezes, o creme dental pode provocar náuseas e vômitos. “Se os vômitos ocorrerem em excesso, o cuidado com a higienização bucal deve ser redobrado. Neste caso, o ácido do estômago entra em contato direto com os dentes e a gengiva e isso pode levar a uma erosão dos dentes. Depois da indisposição é indicado fazer um bochecho para eliminar os restos do fluído”, alerta Daphene.

Por isso, a dentista recomenda às grávidas fazer um pré-natal odontológico para monitorar a saúde bucal e receber orientações de um especialista sobre os cuidados adequados. Daphene destaca que, ao cuidar da boca, a mamãe está garantindo uma gravidez segura, contribuindo para a sua saúde e a do bebê. “É importante lembrar que a formação dos dentes do bebê já está acontecendo neste período. Além disso, durante as consultas, a futura mamãe já receberá dicas sobre como fazer a higienização correta da boca do neném, antes mesmo do nascimento dos primeiros dentes”, diz.

Daphene também alerta para alguns mitos sobre a saúde bucal durante a gravidez. Um deles refere-se ao tratamento dentário. Muitos ainda acreditam que os tratamentos devem ser suspensos. Ela afirma que os seis primeiros meses são os mais indicados para realizar um procedimento e não existe nenhuma restrição em relação ao uso de anestésicos nem à realização de radiografias. “A anestesia local pode ser feita, desde que aplicada por um dentista, que avaliará a melhor alternativa. O mesmo se aplica aos exames de raios X. Podem ser feitos, desde que seja utilizado um avental de chumbo para evitar que a radiação emitida pelo aparelho atinja o feto”, comenta. “Para tratamentos estéticos ou de uma reabilitação extensa, é preciso que o dentista, em comum acordo com a paciente, pese na balança se isso deve ser feito neste período ou se pode ser postergado”, completa.

Outra crença refere-se ao cálcio: a futura mamãe não perde o cálcio dos dentes
durante a gestação. O mineral necessário para a formação dos dentes do bebê
provém da alimentação, por isso eles não sofrem nenhum dano.

Agosto Dourado: Posições para amamentar o bebê de forma correta

Escolher a postura adequada é um dos fatores que mais colabora com o sucesso do aleitamento

posicoes corretas para amamentacao

A amamentação logo nas primeiras horas de vida do bebê acarreta em diversos benefícios para a mãe e o recém-nascido. De acordo com Lavínia Springmann, Consultora da Amamentação da NUK, as mães que amamentam logo após o parto apresentam maior chance de sucesso nas práticas da amamentação. Além disso, o contato da pele da mãe com a do bebê ajuda a prevenir a ocorrência de hipotermia e auxilia na relação entre mãe e filho.

Segundo Lavínia, a posição correta para amamentação é um dos fatores mais importantes para evitar desconfortos futuros. A mãe deve escolher a maneira mais confortável para que o bebê pegue a mama de maneira correta e consiga ingerir maior quantidade de leite.

Confira algumas posições:

Segurar o bebê no colo em posição transversal, “barriga com barriga”, utilizando o braço contrário ao seio em que ele está mamando.

posição para amamentar barriga com barriga
Apoie o bebê no colo em posição transversal, utilizando o braço do mesmo lado do seio em que ele mama.

posição para amamentar transversal
Segure o bebê passando-o embaixo do seu braço, do mesmo lado do seio em que ele está mamando. Sente-se de pernas cruzadas na beira da cama, sofá ou use duas cadeiras.

posição para amamentar embaixo do braço
Coloque o bebê na posição “de cavalinho” em uma das suas coxas, deixando-o de frente para o seio.

posição para amamentar cavalinho
Coloque o bebê em posição paralela ao corpo, elevando ligeiramente sua cabecinha, para ajudar o leite a descer. A recomendação é que a mãe só amamente deitada se estiver bem acordada para não correr risco de acidentes.

posição para amamentar deitada
Use qualquer combinação citada no caso de ter gêmeos e deseje amamentar ao mesmo tempo.

posição para amamentar gêmeos
A pega correta:

A posição certa está diretamente ligada ao sucesso da amamentação e alguns sinais revelam se a pega foi feita de maneira correta:

– O bebê abre bem a boca e abocanha quase toda a aréola;

– A boca do bebê se mantém bem aberta e acoplada ao seio e seu queixo se encosta na parte inferior da mama;

– A aréola fica mais visível acima da boca do bebê do que abaixo;

– O bebê suga, respira e engole o leite de forma natural e coordenada, com sucções lentas e profundas. Suas bochechas ficam arrendodadas.

Orientações:

Os dedos não devem pinçar o seio, nem tocar a aréola. Não é necessário o apoio com a mão, apenas quando os seios da mãe são muito grandes e pesados. É preciso cuidado para não bloquear a descida do leite (não use o dedo em tesoura) e não coloque o dedo na aréola, pois é lá que o bebê deve colocar a boca.

É importante que o bebê arrote depois da mamada, pois engole muito ar enquanto mama que se acumula em seu estômago, causando desconforto. Cada criança tem seu próprio padrão de sucção variando o tempo da mamada, por isso evite controlar esse tempo.

Durante o período de amamentação, é recomendável que a mãe tenha uma dieta equilibrada, rica em cálcio (encontrado nos laticínios), iodo (presente em peixes de água salgada) e aumentar a quantidade de ingestão de líquidos.

Auxílio:

A Concha de Amamentação NUK foi desenvolvida com formato ergonômico e interior em silicone, promovendo o efeito massageador que facilita o aleitamento.

concha de amamentação

Circuitinho pela primeira vez no VillageMall

O VillageMall recebe pela primeira vez a mostra Circuitinho, um evento de moda, decoração, entretenimento e gastronomia, voltado para o público infantil. Serão dois dias – 25 e 26 de agosto – de diversão e inspiração com atividades para pequenos e adultos.

circuitinho

E nós estaremos lá com a nossa loja, João Pé de Feijão. Com looks estilosos para meninos.

joao pe de feijão

Meu modelo ❤

Ao longo de todo dia o evento contará com atividades como oficinas de scrap book; biscuit e bonecas; geleca e artes, além de apresentações musicais, contação de histórias e oficina de circo para toda a família.

A seleção gastronômica também promete conquistar todas as idades, com opções que vão desde ceviches, tapiocas, sanduíches artesanais e cachorro-quente a brigadeiros, algodão-doce e bolos caseiros.

Durante o evento a lona cultural vai receber atividades de hora em hora, para ensinar, divertir e aumentar ainda mais a interação entre pais e filhos. Confira abaixo os horários e programação completa:

Sábado
14h: Alimentamente: uma oficina para as famílias prepararem e comerem comida de verdade

15h: Show e oficina de bolhas de sabão gigantes (Com Z Eventos)

16h: Doctor D: show de ciências com atividades mirabolantes.

17h: Desafio de embaixadinhas entre pais e filhos (Escola de Futebol do Barcelona)

18h: Show com os alunos do Centro Musical Antônio Adolfo.

Domingo
14h: Oficina de circo (Club Circus)

15h: Contação de histórias e oficina com sucatas para crianças construírem seu monstrinho. (Tonia Casarin)

16h: Violúdico: Um super show musical com muitas brincadeiras divertidas e lúdicas.

17h: Arca do Noah: Educação ecológica e interação das crianças com animais. (Arca do Noah)

18h: Encerramento do evento com show dos alunos do Centro Musical Antônio Adolfo

Dias 25 e 26 de agosto

Horário: de 13h às 20h

Local: Jardins do VillageMall

Gastronomia: The Steak l La Carioca l Bondinho Carioca l Ó Quiteria l Brigadeiro de Bisnaga l Algodoce l Ocacarioca l Vindo de Minas l Geneal l Coco Legal l Missbree Patisserie l Delfina L Dengo

Marcas: Upiá l Babo Uabu l Olli l Fulô Estúdio l Oba Arquitetura l Zoé l Ana Bi.l Grande Pé de Feijão l Peticolé l Brincando de Vestir l Menina Sereia l João Pé de Feijão l Coisas de Lilu l Bazar da Boneca l Caramellow l Roberta Pierro

Brincadeiras contribuem na construção de vínculos entre pais e filhos

Para a psicoterapeuta Mônica Pessanha, o cuidado diário pode ser visto como um momento de interação entre os pais e filhos e associado a tempo de qualidade

brincar em atividades cotidiana

As atividades cotidianas relativas aos cuidados com os filhos demandam grande tempo e atenção dos pais e, muitas vezes, acabam sendo vistas por eles como uma “obrigação”. Contudo, é importante que eles consigam perceber que esse tempo de dedicação é uma forma de afeto e que, além de ajudar na construção do elo familiar, pode ser divertido.

“Grande parte dos pais têm dupla jornada, ou seja, atividades dentro e fora de casa. E, muitas vezes, devido a correria, eles acabam não percebendo que momentos singulares do dia a dia fazem muita diferença na vida de seus pequenos. São situações como a hora do banho, o levar e buscar na escola, as refeições –  estas, encaradas pelos pais como ofícios, mas que para as crianças são momentos de qualidade com seus pais, pois contribuem para fortalecer o relacionamento entre eles”, explica Mônica Pessanha, psicoterapeuta e mestre em psicologia clínica pela PUC/SP. A especialista ainda completa: “Essas interações podem se tornar ainda mais leves quando os pais compreendem que são também uma oportunidade de diversão ao lado das crianças”.

Para Pessanha, o cuidado do dia a dia não é apenas uma maneira de educar o filho, mas é por meio desta constante trajetória que os vínculos afetivos com os filhos são gerados.  Por isso, é de extrema importância que haja uma ressignificação sobre o cuidado diário. Neste sentido, ela reitera: “A conexão diária com os pais, além de ser valorizada pelas crianças, é considerada, dentro da Psicologia, um pilar fundamental para o desenvolvimento infantil”.

Segundo Mônica, o brincar é uma das formas para que haja essa conexão, pois subentende que os momentos ao lado das crianças podem ser carregados não só de afeto, mas de magia.  E declara: “As crianças de hoje são muito ativas e têm enorme poder de decisão ‘nas mãos’ nos diversos momentos do dia, inclusive nos que são considerados deveres. Em contrapartida, muitos pais esquecem que esses deveres podem ser realizados por meio de brincadeiras. Por exemplo, se a criança se recusa a escovar os dentes porque terá que deixar de fazer algo mais divertido naquele instante, os pais podem tentar transformar essa tarefa em algo mais lúdico, a fim de que a criança se sinta mais estimulada para tal atividade”. Ou seja, é fundamental que os pais percebam que o cuidar pode ser repleto de leveza e alegria quando conduzido com brincadeiras, inclusive em ações consideradas como obrigação para ambos.

Outro ponto que a psicopedagoga cita como uma maneira significativa na aproximação com os pequenos é pela alimentação. Segundo ela, a comida tem uma relação extremamente afetiva com todos os indivíduos, pois, quando buscamos algo para consumir, na verdade, estamos procurando satisfazer nossas emoções afetivas. A explicação desse sentimento é simples: quando nascemos, o aleitamento é o primeiro ponto de contato daquela pessoa com amor. E, durante toda nossa fase de formação como pessoa, buscamos constantemente sentir aquela emoção e carinho, mesmo que inconscientemente. Por isso, a relação do indivíduo – seja criança ou não –  com a comida, vai além do simples ato de se alimentar. Esse é um dos motivos para levar os filhos para cozinha e tornar o vínculo afetivo ainda mais forte, uma vez que este momento está intrinsicamente associado a respeito e carinho.

Sobre este ponto de encontro possível para interação e fortalecimento da conexão entre pais e filhos, que pode ser na mesa ou até mesmo na preparação da lancheira, Mônica comenta: “Quando os pais preparam a lancheira do filho, podem usar pequenos artifícios para criar esses vínculos, como, por exemplo, escrevendo um bilhetinho para as crianças ou mesmo os convidando para preparar a refeição. Quanto mais os pais envolvem os filhos nessas e em outras atividades, mais vínculos são criados.”

Por fim, a especialista reforça aos pais a relevância de trazer a brincadeira para cada atividade relacionada ao cuidado diário. Além de assegurar que as crianças já valorizam cada momento do cotidiano com os pais, ela conclui: “A criança cuidada por meio da brincadeira é mais feliz, pois ela descobre que a felicidade não é um destino, mas, sim um caminho”.

Palavras com sons repetitivos, como ‘Gugudada’, incentivam a fala do bebê

Estudo conduzido por pesquisadores escoceses associou o uso de palavras “de bebê”, como repetições e diminutivos, ao aumento de vocabulário

como-estimular-fala-bebe

Ao estar em contato com um bebê, como os adultos tentam se comunicar com ele? Mudando o tom de voz, usando diminutivos e palavras com repetição de sílabas, como “gugudadá”. O que ninguém ainda sabia é que essa pode ser uma boa estratégia para que o neném desenvolva a fala. Pesquisadores europeus descobriram que essas características podem ajudar no processo de aquisição de fala pelos bebês.

O título da pesquisa já dá uma dica: “Por que ‘piuí’ é melhor que ‘trem’?”, em tradução literal. Cientistas da Universidade de Edimburgo, na Escócia, verificaram o vocabulário de 47 crianças entre os 9 e os 21 meses (1 ano e 9 meses), com uma avaliação logo no início, mais uma aos 15 meses, e outra no fim.

Ao longo desse período, os pesquisadores associaram o crescimento do vocabulário à proporção de palavras no diminutivo e com sílabas repetitivas, que eles ouviam. Ao final do estudo, descobriram que, quanto mais palavras os bebês ouviam dessa maneira, mais rápido era o desenvolvimento da linguagem. “Nossas descobertas sugerem que diminutivos e reduplicação, que são frequentemente encontradas nas ‘vozes de bebê’ em diferentes línguas, podem facilitar o estágio inicial do desenvolvimento de vocabulário”, afirma Mitsuhiko Ota, que esteve à frente da pesquisa.

Especialistas concordam e enfatizam a necessidade da criança ser estimulada desde os primeiros meses. “Quanto mais a criança for exposta à linguagem, melhor será para seu desenvolvimento”, afirma a fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas, que é especialista em audiologia. Por isso, aproveite para contar histórias, cantar músicas e dizer o que você está fazendo com ele na hora do banho, de dormir ou em outros momentos do dia. Pode parecer que o bebê não está entendendo nada, mas não se engane: o cérebro dele já está memorizando as palavras.