Existe mesmo a hora certa de ser mãe?

Duas histórias de gravidez diferentes, mas que me fizeram pensar sobre existir ou não a hora certa de ser mãe

gravidez-ser-mae

Essa semana recebi dois e-mails de histórias diferentes, porém que exemplificam o que eu já queria falar aqui com vocês.

O primeiro e-mail é de uma ex-tentante. Até criar esse blog (vão completar 2 semanas que o criei), eu não fazia idéia do que seria uma tentante, é um termo totalmente novo para mim. Tentante é aquela mulher que decidiu que quer engravidar e está correndo atrás disso ou simplesmente deixando que aconteça. É quando a mulher coloca como prioridade de vida ser mãe, independente do tempo que isso possa levar para acontecer, elas são incansáveis, não perdem a esperança jamais, mesmo que isso implique em muitas decepções.

Admiro essas mulheres e a vontade delas. Se você procurar, vai encontrar muita coisa legal sobre o assunto na internet, muita delas fazem blogs, instagram, etc, para contar sua trajetória.

gravidez-tentante

E ontem recebi essa história, gostei tanto que resolvi dividir com vocês:

“Quero dividir com você um dos momentos mais  felizes da minha vida.
Estou tentando engravidar há 1 ano. Todo mês fazia a tabelinha e ficava ansiosa para minha menstruação atrasar. Várias tentativas e nada…
Fui em dois ginecologistas, fiz vários exames e estava tudo certo comigo.
Aí bateu o desespero! Como assim? Tudo certo e não engravido 😦
Mas não desistia, e todo mês era a mesma coisa! Aquela ansiedade. Fiquei tão louca que procurava tudo sobre tentantes na net, em fóruns, enfim… tomei água inglesa (pois diziam que limpava o útero), fiz uma dieta do abacaxi (não aguentava mais olhar para um abacaxi!), fui tentando de tudo.
Até que em janeiro, tinha acabado de voltar das férias em Foz do Iguaçu, continuamos nas nossas tentativas, com a cabeça mais tranquila.
Minha menstruação era para descer dia 22/01, e já era dia 25 e nada dela. Não sentia nada demais, só muita tontura, mas pensava que era labirintite, porque todas as mulheres da minha família tem. E por outro lado não queria criar expectativas, pois em março de 2013 minha menstruação não desceu e quando fiz os exames de farmácia e beta, deram negativo. Só que depois eu pensei mais um pouco e lembrei, isso aconteceu pois fevereiro tem somente 28 dias e desregulou minha menstruação, que só veio em abril e no caso agora, era em janeiro e não fevereiro! Fiquei mais animada com a ideia, mas não queria acreditar.
No dia seguinte senti uma dor no músculo da barriga como se estivesse esticando, achei estranho e resolvi fazer um teste de farmácia (em segredo!), passei na farmácia, comprei e coloquei no fundo da minha bolsa, cheia de medo/ansiedade!
No dia seguinte perdi o sono às 4:20h e corri para o banheiro ler e reler o teste para não dar nada errado. Coloquei o xixi no copinho e mergulhei a tira, na mesma hora apareceu uma tira rosa escura, gelei!
Comecei a escovar meus dentes tremendo, quando de repente meu marido abre a porta do banheiro! Eu tampei o teste com uma mão e ele me perguntou se estava passando mal eu respondi que estava apertada. Ele voltou para o quarto, e graças a Deus nem percebeu a caixa do exame em cima do vaso.
Deixei a tira em cima do sofá e voltei para o quarto, depois de alguns minutos voltei e apareceu uma segunda lista!!!
Coloquei o teste, a caixa, tudo dentro da bolsa e fui trabalhar meio bobada ainda!
Resolvi fazer  uma cartinha para o meu marido contando a novidade.Imprimi a foto do teste e a seguinte frase: “Agora em mim batem 2 corações por você!” Deixei em cima da mesa com outros papéis. 
Estava terminando de fazer o jantar e pedi para ele arrumar a mesa e olhar os papéis para jogar fora. Ele olhou e disse que só tinha papéis meus! – Sim, meu marido é lerdão!!! – Eu insisti e pedi para mesmo assim ele olhar um por um.
Ele olhou e quando chegou no bilhetinho ele disse que iria jogar fora, eu disse para ele olhar com carinho e verificar se podia realmente jogar fora. Ele abriu, leu e abriu um sorrisão, me perguntando se eu tinha certeza. Beijou minha barriga, está super carinhoso, conversa com nosso baby todos os dias.
Estou de 8 semanas, com uma gravidez super tranquila.
 
Bjs e que nossos bebês venham com muita saúde ♥”
Tem como não amar um e-mail fofo desses? Não, não tem.
gravidez-felicidade
E o que vinha na minha cabeça é que Deus sabe a sua hora certa, que ele sabe quando você está preparada e quando você precisa dessa criança na sua vida. Bom, eu achava isso…..até receber o segundo e-mail sobre uma história de gravidez etópica:
“Estava noiva, procurando meu apartamento para realizar o tão esperado dia do SIM. Eu sentia fortes dores abdominais quando fui na emergência e descobrimos que estávamos grávidos. Naquele momento, eu não pensei em nada, apenas chorei, uma mistura de felicidade, de medo, de ansiedade.
Ao voltar para casa, sentimos uma forte emoção, seríamos pais e já o bebê já tinha 6 semanas. Curiosamente, eu havia parado de fumar e não me sentia a vontade quando ingeria qualquer tipo de álcool. Foi então que começamos a ligar uma coisa na outra, era o instinto materno, sem dúvidas!
As dores continuavam e segundo a médica, isso acontece com algumas mulheres na formação da placenta, mas ela não passava. Foi então que na primeira ultra do bebê, os médicos nos informaram que o embrião havia se formado na trompa.
Entramos em pânico, porque sabíamos que a gestação não poderia ser levada a diante. No mesmo dia, já fui internada para a remoção do feto e saber se havia comprometido a trompa. 
A cirurgia foi um sucesso! Mas a trompa teve que ser retirada porque ela havia estourado devido ao tamanho do feto e foi aí que o nosso mundo desabou! Além do corpo dolorido, a mente não estava trabalhando racionalmente, a emoção tomava conta de absolutamente tudo naquele momento. 
Perder um bebê, seu primeiro filho, do homem que você ama e que em breve serão um só, dói. Ouvimos diversas vezes e de pessoas diferentes “que não era a hora certa” mas quando você passa por tudo isso em tão pouco tempo, opiniões dessa forma não são bem vindas porque você precisa lidar com a sua dor, que é diferente da dor dos outros, cada um sabe a hora certa de se levantar e ir em frente. Se a hora era certa ou não, eu não sei. Mas foi nisso que me segurei o tempo todo.
Comecei a pesquisar muito sobre esse tipo de gravidez, as causas, o pós operatório e principalmente se eu poderia engravidar novamente tendo hoje apenas uma trompa. Hoje, entendida do assunto, sei que minhas chances são menores do que das pessoas que tem as duas trompas, mas sei também que não é impossível porque há relatos de pessoas que com apenas uma trompa teve três filhos. – Não, eu não quero ter três filhos, só quero receber novamente a dádiva de poder ser mãe.”
Depois de saber dessa história, conversei com ela e mudei minha concepção de ser “a hora certa”, mas uma coisa que eu disse à ela é que até isso Deus sabe que você precisa passar, por algum motivo. E ela realmente disse que depois disso, é outra pessoa, com outros pensamentos e atitudes.
gravidez-dadiva
Eu tenho mais do que certeza que ela vai receber esse presente de ser mãe novamente (sim, já disse aqui que você vira mãe a partir do momento que descobre a gravidez). E nesse dia, eu quero que ela volte e divida conosco esse final feliz.
Beijos,
Nanda 😉
Para falar comigo, meu e-mail é fernanda_carvalho@globo.com
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s